Google+ Followers

sábado, 10 de dezembro de 2011

ANEL DE RUBI



ANEL DE RUBI
De: Ysolda Cabral


Na mão sofrida e cansada,
Um simples anel se destaca,
Nele três pequenas pedras de rubi,
Fazem o tempo sumir.

Tantos anos se passaram,
Tantas águas rolaram,
Doces sonhos foram esquecidos,
Outros foram idealizados.

Já não é tão fácil chorar,
O sorriso sempre querendo aflorar,
Para esconder decepções, mágoas,
E as rugas surgidas do nada.

A indiferença faz a diferença,
O silêncio é bálsamo abençoado,
Tudo mudou menos a crença,
De que a Vida ainda assim vale à pena.

**********



Publicado no Recanto das Letras

em 10/12/2011Código do texto: T3382222