Google+ Followers

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

GATOS ASSASSINOS, GAIOLA NELES!



GATOS ASSASSINOS, GAIOLA NELES!
De: Ysolda Cabral



No final do expediente da última sexta-feira,ainda muito gripada, torcendo para que o trânsito não estivesse muito engarrafado para chegar logo em casa; recebi a "visita" do colega Anderson Leandro – aquele do São João – dizendo ter uma preocupação para dividir comigo.

Antes, fez questão de observar ter lido meus blogs “Apenas Ysolda” I e II. Contudo, só no Recanto das Letras na crônica “Será que Ele Volta?”, publicada em 12/07/2010, a qual versa sobre pássaros e beija-flores, havia deixado um comentário

Senti sua ansiedade em relação ao respectivo comentário, e, para não o decepcionar, imediatamente, acessei o site do RL e lá ele dizia o seguinte:

“20/08/2010 15:58 - ANDERSON LEANDRO
FICO ADMIRADO COM OS PÁSSAROS QUE ME VISITAM, SÃO TODOS BONITINHOS, MAS A MUSIQUINHA QUE ELES CANTAM... EU NÃO ESCUTO MESMO!!”

Eu, depois de ler, “engoli seco”, sorri para disfarçar a emoção – Anderson é deficiente auditivo – e agradecendo-lhe perguntei a que vinha.

Então me contou que, nos arredores de sua casa, existe uma “gangue” composta de sete gatinhos “delinqüentes e assassinos” que diariamente comete verdadeiras “chacinas” contra inofensivos e indefesos passarinhos que pernoitam nas árvores existentes no local.

Disse que, tem ficado na tocaia durante quase toda noite para ver se consegue evitar os massacres. Contudo, o sono literalmente lhe derruba e não consegue escutar os miados famintos dos desalmados gatinhos e nem os pedidos de socorro dos passarinhos - nem que quisesse. E, os bichinhos correm o risco de serem totalmente extintos naquela área, considerou. Perguntando se eu tinha alguma sugestão para lhe dar, aquietou-se para aguardar minha resposta.

A princípio pensei que ele estivesse me “zoando”, mas olhei para ele e perscrutando bem sua fisionomia, constatei que o caso era verdadeiro, sério e sua preocupação autêntica.

E, sem pestanejar, lhe sugeri: chame a polícia pra botar esses gatos malvados na “gaiola”, ora bolas!!

E lá se foi o meu amigo sem saber se ria ou se chorava. (Rsrs)

**********

Publicado no Recanto das Letras em 23/08/2010
Código do texto: T2454669

domingo, 22 de agosto de 2010

FELIZ DE VERDADE

FELIZ DE VERDADE
De: Ysolda Cabral



Do lado do amanhecer,
Da barriga da mãe natureza,
Mais um dia logo vai nascer,
E me emociono com tanta beleza.

E ele nasce límpido e claro,
Com todas as suas cores em destaque,
E uma tímida alegria me invade,
Ao escutar o canto dos pássaros.

Do lado do anoitecer,
Onde o dia inevitavelmente morre,
Sem querer perco o norte...

Porém a vontade de viver,
Faz-me sonhar e ter certeza,
De que um dia feliz eu vou ser.


**********

Publicado no Recanto das Letras em 22/08/2010

Código do texto: T2452406


sexta-feira, 20 de agosto de 2010

ESPERANÇA

ESPERANÇA
De: Ysolda Cabral


No ritmo dos meus passos;
Todo o tempo do mundo,
Ou * " O Andar do Tempo" rápido.

No ritmo dos meus passos;
O canto dos pássaros nas árvores,
Nas ruas... Um bálsamo.

No ritmo dos meus passos;
A carícia das ondas...
Um segredo o Vento me conta.
Eu guardo achando graça.

No ritmo dos meus passos;
Um sorriso, uma lágrima,
E a certeza de que tudo passa.

**********

* Título de um dos livros do amigo Airton Lócio.

**********


Publicado no Recanto das Letras em 20/08/2010
Código do texto: T2448917

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

NÃO EXISTO


NÃO EXISTO
De: Ysolda Cabral


No parapeito da janela,
Entre as cortinas e sob raios de Sol,
Vejo a minha pequena hortelã forte e bela.
Sinto até o cheiro dela!

No meu peito,
Ansiedade e saudade – além da gripe.
Sinto-me frágil e triste.

Lá fora o dia está lindo,
Claro e tão nítido!
Sinto-me um mito...

E, se assim for,
Tudo está finalmente esclarecido,
Definitivamente definido:
Eu, simplesmente, não existo.
Apaziguada comigo; assino.



**********


Publicado no Recanto das Letras em 19/08/2010

Código do texto: T2446811

PARA MINHA ESTRELA






Hoje, 19/08/2010,
aniversário de minha Estrela Preferida - Mamãe.


Eita saudade, meu Deus!


ALMA EXPOSTA




ALMA EXPOSTA
De: Ysolda Cabral


O que há na minha alma
Que a faz tão inquieta
Tão inconstante e tão alerta?

O que há na minha alma
Que não sossega
Que duvida e não se entrega?

O que há na minha alma
Que às vezes me preenche
E quando isso acontece
Fico na mais completa calma?

O que há na minha alma,
Que me faz não existir
E mesmo assim perceber
Que ainda estou aqui?

O que há na minha alma
Que me deixa reticente
Mas não me faz ficar silente
De contar que sou assim?

**********


Publicado no Recanto das Letras em 17/08/2010
Código do texto: T2442853

domingo, 15 de agosto de 2010

CONDIÇÃO PRA SER FELIZ

CONDIÇÃO PRA SER FELIZ
De: Ysolda Cabral


Um poema, uma canção,
Uma palavra amiga,
Um carinho, sua atenção,
E a manhã ficaria mais bonita.

Um simples “oi” ao raiar do dia,
Um abraço apertado,
Um sorriso franco e largo,
E a flor da minha alma sorriria.

E, no orvalho de todas as manhãs,
Seu raro perfume lhe acordaria,
Pra lhe desejar um lindo dia.

Só assim, tão somente assim,
Ela viveria feliz e contente,
Pra você eternamente ou até o fim.
*****
Publicado no Recanto das Letras em 15/08/2010
Código do texto: T2439383

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

BRINCANDO COM O VENTO

BRINCANDO COM O VENTO
De: Ysolda Cabral


A sombra da mangueira,
O vento brinca com meus cabelos.
Balanço a cabeça fingindo impaciência,
Contudo logo entro na brincadeira.

Arrumo o cabelo com a mão,
Ele desarruma na hora.
Fico brava, faço cara grossa,
Ele assovia uma canção.

E assim o tempo passa,
Sem que eu sinta ele passar,
Quando me lembro de rezar...

O Vento pára,
Fica bem quietinho,
Esperando eu terminar.

**********



Publicado no Recanto das Letras em 13/08/2010

Código do texto: T2435132

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

GUTINHO DANTAS - MAIS UMA ESTRELA NO CÉU



GUTINHO DANTAS
MAIS UMA ESTRELA NO CÉU
De: Ysolda Cabral



Hoje o dia amanheceu mais triste que nunca. Logo compreendi que o azul do Céu, com suaves e tranqüilas nuvens; os raios de Sol, os quais fazem do dia um postal ou pronto para sediar grandiosas festas, estavam noutro lugar. Talvez em Galáxias inexploradas, Paraísos Estelares; Endereço de Deus...


Pensei: se o “dia postal” não está aqui é porque a alegria no Endereço de Deus, precisava ser caprichada, intensa e mais bonita para a chegada do garoto Gutinho Dantas.

Por lá só alegria e compreensão. Por aqui tristeza, incredulidade e incompreensão. Entretanto, para àquele que tem fé e confia no Senhor; aceitação.

A saudade é imensa e a realidade é difícil de aceitar. Até a praia de Boa Viagem chora a partida de seu banhista assíduo e belo. O bairro inteiro parece transtornado...

Os corredores do Colégio Atual, da Faculdade Pernambucana-FAPE, estão vazios da alegria da presença carismática do aluno tão querido.

Gutinho Dantas partiu aos 21 anos de idade...

Dois dias antes, surpreendentemente, sonhei com ele sorrindo para mim, como sempre fazia quando me encontrava na FAPE, no mar ou em qualquer lugar.

Amigo de infância de minha filha, Gutinho era uma garoto lindo por dentro, por fora e muito feliz. Seu sorriso contagiava, pois vinha da alma.

Tenho certeza que, sua família, seus amigos, colegas e professores se sentem abençoados em terem tido a graça de tê-lo por perto mesmo que, por um período de tempo tão curto.

- Eu me sinto!

**********

Publicado no Recanto das Letras em 12/08/2010
Código do texto: T2433211

SER FELIZ É O QUE IMPORTA



SER FELIZ É O QUE IMPORTA
De: Ysolda Cabral




Quando criança e até bem mocinha, uma das coisas que mais me fascinavam era sair correndo pelos arredores de minha casa. Sentir o vento no rosto, o cheiro do mato... Os pés no chão, na terra... Na relva criavam asas e eu voava alto, bem alto como pássaro pela imensidão do Céu.

Não importava se chovia ou fazia sol. Até preferia na chuva, pois me sentia fresca, leve e assim corria mais. Ao retornar pra casa, tomar o banho frio era um desafio fácil de superar, principalmente no inverno.

Quando saía do banho, mamãe me esperava com um gostoso pão-de-ló, recém saído do forno e leite quente, adoçado com mel de engenho e canela. Me sentia leve, protegida, aconchegada, amada e feliz... Depois, no meu quarto, me esquecia do tempo lendo Iracema, de José de Alencar, presente de meu avó Firmino.

Hoje, com pernas apenas pra caminhar no asfalto, na praia e em qualquer lugar, continuo correndo e voando Mundo-poesia afora.

Sou feliz, graças a Deus.

**********

Publicado no Recanto das Letras em 06/08/2010
Código do texto: T2422247

FOLHA DE PRATA



FOLHA DE PRATA
De: Ysolda Cabral


O verde da folha da palmeira,
Brilhando na sombra do jardim,
Parece prata sobre a mesa.
Será que sempre foi assim?

Olhando muito além dela,
Enxergo nítida outra época,
E uma saudade quase doida,
Em mim se manifesta...

Já não estou mais aqui!
Estou no campo, no meio das flores,
Sou Espantalho ou Querubim...

No País das Maravilhas,
Nunca fui Branca de Neve,
Nem muito menos Cinderela,
E assim...

Como a Gata borralheira,
Estou sempre a espera,
De uma linda noite calma;
Para comigo vir dormir.
**********

Publicado no Recanto das Letras em 04/08/2010
Código do texto: T2418399

CAMINHADA NO ASFALTO



CAMINHADA NO ASFALTO
De: Ysolda Cabral


Sob Árvores centenárias,
- com maiúscula mesmo –
Caminho bem devagar,
Sem pressa de chegar.

Numa fração de segundos,
Tenho todo tempo do mundo,
Consigo filtrar todo o ar,
E o respirar puro e fundo.

Absorvendo sabedoria,
Frescor, calma e paciência,
Sigo firme e relaxada,
Refletindo o que me falta...

Neste momento paro!
Fico terrivelmente triste;
Por onde andam os pássaros?

- Será que,
Pelo adiantado da hora,
Todos já foram embora?

**********

Publicado no Recanto das Letras em 03/08/2010
Código do texto: T2415943

VOLTEI

VOLTEI
De: Ysolda Cabral


Ao cruzar a ponte do rio de águas um dia claras, hoje meio turvas devido ao tempo e também esverdeadas pela mata e pelo lixo, ainda sinto uma emoção inexplicável, a qual me faz leve e bem disposta, apesar do enorme cansaço.

É muito bom estar de volta!

De volta ao trabalho, de volta ao blogger, de volta ao Recanto das Letras...

Chego inteira e em paz comigo mesma.

Agradeço de todo coração as mensagens recebidas, os e-mails e as visitas, cujos comentários generosos em muito me alegraram.

Aos pouquinhos tentarei retribuir o carinho a cada um de vocês.

Forte abraço.

**********

Publicado no Recanto das Letras em 02/08/2010
Código do texto: T2413988