Google+ Followers

terça-feira, 4 de outubro de 2011

POEMA MALDITO



POEMA MALDITO
De: Ysolda Cabral


Eis o desencanto explicitado,
Da alma em manifestação contundente,
Em declínio, em pesadelo, em desalinho,
Febril e descontente.

E às mais indignadas expressões de sentimento;
Queimam por dentro em desassossego,
Em desespero e em cruel sofrimento.

E os ditos de amor mais bonitos,
São calados, reprimidos, eliminados,
Pela insensatez dos equivocados.

Eis a alma exposta, em revolta e sem pudor,
A proclamar em verso seus delírios,
Vividos em poema maldito,
Por um coração partido de dor.

*****
Publicado no Recanto das Letras 04/10/2011
Código do texto: T3257216