Google+ Followers

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

NÃO É MAIS CEDO



NÃO É MAIS CEDO
De: Ysolda Cabral



Na espontaneidade dos meus gestos,
Na simplicidade dos meus versos,
O pensamento que manifesto,
Vem do meu imaginário concreto.

De certo desprovido de intenção,
Passivo de errônea interpretação,
Sempre tão visível em sua cara.

Contudo o tempo passou rápido,
Tudo inexplicavelmente mudou,
E na reviravolta que a vida deu,
Descobri; seu coração nunca foi meu!

Sossegando a ilusão e o medo,
Seguirei em frente sem hesitação,
Mesmo sabendo que não é mais cedo.

*****

Publicado no Recanto das Letras em 17/11/2011
Código do texto: T3341326






Imagem Google