Google+ Followers

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

CIDADE DOS MORTOS

CIDADE DOS MORTOS
De: Ysolda Cabral


Ruas silenciosas...
Transversais vazias.
Na Cidade dos Mortos,
Nem choro e nem alegria.

Novos moradores chegam,
Trazidos pelas mãos de pessoas incrédulas,
Estarrecidas...

Um canto de pássaro desconhecido,
É nitidamente escutado.

Olho para os lados e para cima,
Vejo o Céu e árvores seculares.
Paro e penso: onde está a poesia?
E a realidade se impõe.

Vou embora com a certeza
De que um dia vou voltar
E, desta feita pra ficar.
Só não sei quando será.


Publicado no Recanto das Letras em 23/02/2010
Código do texto: T2103303