Google+ Followers

segunda-feira, 6 de junho de 2011

BOAS MANEIRAS E BOA EDUCAÇÃO EM EXTINÇÃO


BOAS MANEIRAS E BOA EDUCAÇÃO EM EXTINÇÃO

De: Ysolda Cabral





Tem coisa mais constrangedora do que você dar bom dia e ninguém responder?

Decidida a não mais passar por esse constrangimento, pensei em só cumprimentar quem me cumprimentasse primeiro.

Então lembrei de um fato, vivenciado pelo engenheiro civil e advogado, Telga de Araújo Filho, o qual me levou a ponderar esta decisão.

Vale ressaltar que, o referido engenheiro e advogado é pessoa da mais alta estima e apreço na sociedade pernambucana. Foi presidente do Conselho de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Pernambuco, por duas gestões consecutivas. Inteligente, competente, atuante, dinâmico, culto, espirituoso e muito divertido, Dr. Telga, conquista a todos por sua simplicidade, autenticidade, e, principalmente, pelo seu senso de justiça e igualdade.

Ele contava - achando muita graça - que trabalhara numa empresa, onde existia uma jovem recepcionista bonita e elegante. No entanto, ela não se dignava a responder o cumprimento de nenhum colega de trabalho.

Seu ''bom dia'' era apenas destinado aos clientes e visitantes, e, claro, aos mais altos executivos da empresa. Contudo, à medida que a maioria dos colegas se chateava e pedia ''sua cabeça'', ou seja, sua demissão, ele não se alterava e continuava a lhe cumprimentar toda manhã.

Um dia, bastante atrasado, passou por ela e não falou. Quando já estava para pegar o elevador, surpreso ouviu um veemente protesto...

- ''Hoje o senhor não vai me dar bom dia?!!!''

Ele, mesmo atrasado, voltou, lhe pediu desculpas, lhe deu o bom dia e foi trabalhar contente da vida.

Sei, perfeitamente, que ele tem toda razão, porém continuo achando uma atitude assim imperdoável.

O fato é que, a noção básica de boas maneiras e de boa educação, anda também em extinção. O que é lamentável.

**********


Publicado no Recanto das Letras em 06/06/2011

Código do texto: T3017490