Google+ Followers

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

TEMPO TERMINAL





TEMPO TERMINAL
De: Ysolda Cabral


Quando a alma lamenta,
E o coração implora;
A gente fala, grita, chora.
Mas quem se importa?!

São coisas fora de moda,
''modelitos'' não mais usados,
Agora só vale os sarados,
A maioria de intelectos atrofiados.

Dos pés a cabeça,
E da cabeça aos pés,
É visível o vazio enviesado,
Inexplicavelmente desejado.

E, a realidade se impõe,
Em angustiante exposição,
Anulando qualquer ação...

- Recomendamos: cuidado!

Quando há fatos consumados,
São irreversíveis seus feitos,
Tudo se torna torto e desigual,
E o tempo já é paciente terminal.

**********

Publicado no Recanto das Letras em 18/01/2012
Código do texto: T3448335