Google+ Followers

segunda-feira, 10 de maio de 2010

COMO FOI O MEU DIAS DAS MÃES


COMO FOI O MEU DIA DAS MÃES
- A pedidos –



Na realidade meu dia começou no sábado, quando minha filha – a mais feia filha que uma mãe poderia ter, pediu o cartão de minha conta corrente, meu carro emprestado e foi comprar o meu presente.

Ontem, ela acordou relativamente cedo e mais que depressa foi me dar o presente que eu tinha comprado para mim, e, naturalmente, um beijo caprichado do dia das mães anunciando que, o dia era meu e que ela iria fazer tudo o que eu quisesse.

Fiquei super animada e quando ia abrindo a boca para sugerir alguma coisa, ela olhou para mim e falou: “mamãe se arrume depressa e vamos almoçar no Shopping”.

Ao chegarmos lá, logo percebi que meio mundo de filhos haviam tido a mesma idéia. Era tanta mãe, mais tanta mãe que batíamos umas nas outras. Todas com cara boba de felicidade.

Yauanna mais que depressa me levou para o restaurante da escolha dela, chamou o garçom, fez o pedido e anunciou que, logo após o almoço, iríamos ao cinema, na sessão das 14h: 40m. Inclusive, já havia comprado as entradas. Evidentemente, com o meu cartão, o qual já estava em seu poder desde o sábado.

Devo confessar que eu estava realmente adorando fazer tudo o que EU queria. (Rsrs)

Logo após a sobremesa, a preferida dela, fomos ao cinema. Quando nos sentamos foi que me lembrei de perguntar que filme assistiria e ela então me comunicou que era um filme brasileiro, intitulado “As Melhores Coisas do Mundo”, e, que no elenco estava o filho do Fábio Júnior.

Diante desse improviso, pensei: se pelo menos fosse o Fábio... !!!! (Rsrs)

O engraçado é que o filme me surpreendeu pelo seu enredo atual, polêmico, e educativo. Sai de lá com vontade de assisti-lo novamente. Ponto pra ela.

Bom, agora era minha vez e disse-lhe que iríamos pra casa da minha irmã, dar os parabéns ao meu sobrinho que estava aniversariando.

Ela mais que depressa disse: mamãe, preciso ainda fazer umas comprinhas rápidas. Como está nosso saldo? (Rsrs) – Lá fomos nós.

Bem depois, chegamos à casa de minha irmã quando, finalmente, fiz o que quis. “Detonei” no bolo de chocolate. (Rsrs)
*****
Publicado no Recanto das Letras em 10/05/2010
Código do texto: T2248529