Google+ Followers

sábado, 1 de maio de 2010

SEM PENA E SEM DÓ

SEM PENA E SEM DÓ
De: Ysolda Cabral


Ficando triste não sonho,
E, quando a tristeza é bem grande,
Nem pesadelo eu tenho,
Já que não durmo direito há anos.

Faço direitinho o costumas;
Trabalho, estudo, rego as plantas,
Sem me sentir cansada ou tonta.
Afinal, estou triste e não incapaz.

Entretanto, mesmo sem graça,
Encaro o espelho por pura pirraça.

Sorriso irônico e contrafeito;
Olhando pra minha cara,
Vejo ela me dizer sem rodeios:
Oh, menina, deixa de asneira!!

E continua:
A noite está tão linda,
Vai dar uma volta!
Deixa pra lá a tristeza,
E toda esta revolta.

Toca a Vida em tom maior;
Tira das veias a tua essência mais feia,
A malfadada besteira.

- O resto?!
Deixa com Ela...
Sem pena e sem dó.



*****

Publicado no Recanto das Letras em 01/05/2010

Código do texto: T2231364