Google+ Followers

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

LORDE DINAMARQUÊS X TÊ LIMA - MAIS UM ROUND



LORDE DINAMARQUÊS X TÊ LIMA – MAIS UM ROUND
De: Ysolda Cabral




Amanheci bem disposta e um tantinho de nada atrasada. Rapidamente tomei banho, me arrumei, comi alguma coisa e corri para o trabalho.

Precisava chegar antes da “fiscalização” do “Lorde Dinamarquês”.

- E não é que consegui?!

Mas logo ele chegou todo faceiro e ficou muito satisfeito por nos encontrar a postos e a “todo vapor”. Deu-nos um bom dia alegre e sorridente ocasião em que, foi interrompido, pela chegada inesperada de um antigo assessor da diretoria, muito querido por todos nós.

A Tê Lima, comentando que se soubesse que ele viria, não teria usado perfume, correu para abraçá-lo.

O “Lorde”, meio chateado pela interrupção e por ficar em segundo plano, caiu na asneira de perguntar a razão do comentário...

Na “bucha” ela respondeu que, o perfume do assessor visitante era muito bom.

Perfume de gente que “podia”... Perfume que grudava na outra pessoa por ocasião do abraço. E o melhor: teria economizado o dela, claro!

O “Lorde Dinamarquês” se sentindo ofendido e ultrajado atacou:

- Economizar perfume da Avon?!!

- Não senhor, do supermercado mesmo e só custa dez reais! Esclareceu a atacada ,e, prosseguindo no revide...

- Pode deixar que no seu aniversário dar-lhe-ei um de presente.

O “Lorde", indignado, informou só usar perfumes dos USA, tais como - Polo Double Black, Blue, Green - se aproximando dela para que sentisse o perfume.

Tê Lima, não se fez de rogada e cheirou. Cheirou uma, duas e três vezes. Só depois é que nos informou, muito séria, com convicção e com cem por cento de certeza ser a fragrância, usada pelo “Lorde” naquela manhã, de origem dos “USA DO PARAGUAI.”

Ele ficou vermelho que nem pimentão - o “Lorde” é dado a ruborizar, ele né fraco não! - Então pensei: “eita", ele vai enfartar!

Para apaziguar os ânimos; depressa lhe perguntei o preço dessas preciosidades. Ele, acalmado, quase que instantaneamente apaziguado e todo sorriso, correu para Internet.

Satisfeitíssimo mostrou que, os seus perfumes preferidos, estavam na faixa de setenta a oitenta dólares. E, com a postura altiva, dos que possuem “sangue azul”, nos cumprimentou e foi para o seu “gabinete” despachar...


Coisas de "Lordes, Nobres... " ! Hahahahahahaha

**********

Nota:

O “Lorde Dinamarquês” é um “chefe” muito querido e que adora brincadeira. E, lógico que esta publicação tem a sua autorização.

A foto ilustração é do nobre e astrônomo dinamarquês Tycho Brahe. Ele era um personagem interessante. Tinha um alce treinado como animal de estimação e também perdeu a ponta de seu nariz num duelo com outro nobre, também dinamarquês, que o obrigou a usar um nariz falso feito de prata e ouro, mas essa é outra história. Conta-se que, Tycho teve que segurar a vontade de ir ao banheiro durante um banquete particularmente extenso em 1601 (levantar-se no meio de um jantar era considerado como algo realmente ofensivo), a tal ponto que, sua bexiga, levada ao limite, desenvolveu uma infecção pela qual morreu. Análises posteriores sugeriram que Tycho morreu na realidade por envenenamento com mercúrio, mas essa conclusão não é tão interessante como a história original.


Obs. Foto e dados coletados no Google.


PS. " Ysolda Cabral " também é cultura! Hahahahahahahaha


**********


Publicado no Recanto das Letras em 26/11/2010

Código do texto: T2637668