Google+ Followers

sábado, 26 de fevereiro de 2011

AUTOCONHECIMENTO E BIQUINI ESQUECIDO NA AREIA

AUTOCONHECIMENTO E BIQUINI ESQUECIDO NA AREIA
De: Ysolda Cabral


Minha “chefe” é realmente uma pessoa bastante interessante. Bonita, Inteligente, perspicaz, generosa e um “tantinho” só desligada das coisas menores, - no que ela faz muito bem, diga-se de passagem -, resolveu se juntar a um grupo de autoconhecimento.

Desses que se estuda e se analisa com a “ajuda” de um terapeuta, mas principalmente com a “orientação” das “Estrelas, do “Buda”, das “cores”, das coisas transcendentais e que nós, pobres mortais, não alcançamos com tanta facilidade.

Grupo dedicado e bastante empenhado, vez ou outra se reúne em lugares onde o contato com a Mãe Natureza é propício para uma boa meditação.

Foi o que ocorreu na noite da última sexta-feira, 18/02/2011, noite de Lua Cheia. (Em maiúscula mesmo por respeito à beleza Divinal).

No final do expediente, correu para casa a fim de verificar se estava tudo em ordem com o jantar dos filhos e do marido, e, aproveitar para tomar um banho, vestir um biquíni, posto que o encontro dar-se-ia a beira-mar.

Tudo pronto, de túnica branca, e, com uma toalha dentro da bolsa, para o caso de querer dar um mergulho; lá se foi minha “chefe” para o “estudo” daquela noite.

Depois de muita meditação, ao som das ondas e com muito mais conhecimento de si mesma, minha “chefe” resolveu entrar no Mar.

Água quente, iluminada e livre do Vento, cuja Lua faz questão de mantê-lo afastado nesses momentos; mergulhou livre, leve e solta.

- Hora de ir embora! Chamou sua amiga.

Mais que depressa saiu da água, pegou a toalha, e, já que estava sozinha; tirou o biquíni, se enxugou, vestiu a túnica, pegou a bolsa e correu para o carro da apressada amiga que a esperava, já com o motor em pleno funcionamento...

Só se deu conta de que havia esquecido o biquíni na areia da praia, quando se viu no “espelho” do olhar de seu marido.

Eu, até então calada, confesso que meio incrédula... Escutava o relato quando ela começou a comer um sanduíche que trouxera de casa, evidentemente preparado por ela.

- O pão estava totalmente queimado e ela nem sentia! Foi quando entendi a compreensão e credulidade do seu marido.

- Agora eu também acreditava! Hahahahahaha


**********

Publicado no Recanto das Letras em 25/02/2011

Código do texto: T2814272

http://recantodasletras.uol.com.br/autores/ysoldacabral