Google+ Followers

domingo, 6 de fevereiro de 2011

O VENDEDOR AMBULANTE

O VENDEDOR AMBULANTE
De: Ysolda Cabral


Laranja cravo,
Jambo, manga,
E melancia...

Laranja Bahia,
Também tinha...

Uva verde, maçã e pêra,
Abacaxi e “siriguela”.
- Nem lembro mais o sabor dela -

Macaxeira, pronta para a panela,
E o feijão verde já bem debulhadinho
Davam o realce entre as frutas,
Frescas e belas expostas no carrinho...

Entregues na portaria,
Do prédio da “madame”,
Com muita alegria,
Pelo vendedor ambulante.

Ela ao efetuar o pagamento,
Pleiteou-lhe um desconto,
Um desconto descabido,

E ao meu ver desumano.

Ele prontamente concedeu,
- abrindo mão do seu ganho -
E lhe pediu um copo d’agua...

E aí o inusitado aconteceu:

Ela lhe disse pra pedir em outro canto,
Pois ali não se dava água nem a santo...


Fiquei a me perguntar :

Será que ouvi direito?!

Fui embora sem acreditar,

Com o coração contrafeito.


**********

Publicado no Recanto das Letras em 03/02/2011

Código do texto: T2769941