Google+ Followers

domingo, 14 de março de 2010

DIA DA POESIA

DIA DA POESIA


Tem dias que a sensibilidade está tão suave que em tudo vê poesia. Já em outros ela fica simplesmente indiferente, como se estivesse cansada, doente... Nessas ocasiões não adianta o poeta querer compor nenhum verso, pois nenhum teria proveito. E, hoje, especialmente hoje – dia que se comemora a poesia – minha sensibilidade está assim.

Entretanto, como não poderia deixar de registrar este dia tão especial, resolvi trazer para vocês – poetas – o primeiro poema que tive a honra de publicar no Recanto das Letras. Com ele deixo meus parabéns a todos vocês, com votos de muita “inspiração suave”.

APENAS FLOR

Hoje sou apenas Flor
Uma Flor qualquer
Nascida em qualquer lugar
Não tenho nome
Não tenho cor
Mas tenho beleza
Sou delicada e bem faceira
Meus espinhos são feitos
De goma elástica
Para não machucar
Apenas jogar longe
Quem de mim se aproximar
Meu perfume se espalha
Por todos os lugares
E se você fechar os olhos,
Respirar bem fundo
Sentirá minha fragrância
E ficará a mercê dela
Por que hoje sou Flor
Flor que não serve para nada
Só para homenagear
O AMOR.

*****

Publicado no Recanto das Letras em 14/03/2010
Código do texto: T2137795