Google+ Followers

quinta-feira, 11 de março de 2010

GRANDE MENTIRA

GRANDE MENTIRA
De: Ysolda Cabral


Nas ruas desertas,
Lavadas de chuva;
Uma saudade me resta.

Na pintura das casas,
De fachadas serenas;
Uma saudade me resta.

Na melancólica manhã ,
De um lugar qualquer;
Uma saudade me resta.

No cheiro da terra molhada,
Pronta para o plantio;
Uma saudade me resta.

No silêncio que paira no ar,
Perturbado pelo som
Dos saltos dos meus sapatos;
Uma saudade me resta.

Na solidão dos caminhos,
Viajando sem receio pro passado;
Nenhuma saudade eu trago.

*****

Publicado no Recanto das Letras em 11/03/2010
Código do texto: T2132809