Google+ Followers

quarta-feira, 16 de junho de 2010

JURO VINGANÇA


JURO VINGANÇA
De: Ysolda Cabral


Mãos cansadas e vazias
A alma inocente e confusa
Grita e ninguém escuta

Mérito da equação inteligente
Pouco comum no mundo da gente
Fez desaparecer a poesia e a canção
Sem nenhuma explicação

Tudo em seu devido lugar
O sonho extinto... Pesadelo sorrindo...
É o preço à pagar

Perdidos no labirinto do nada
As lágrimas teimando em cair
Vingança da tristeza infinita
A qual - EU JURO - perecerá no fim.



*****
Publicado no Recanto das Letras em 13/06/2010
Código do texto: T2316925