Google+ Followers

sábado, 5 de junho de 2010

TACHOS E PANELAS


TACHOS E PANELAS
De: Ysolda Cabral


Quase todo dia almoço sempre na mesma hora e no mesmo restaurante. O “Tachos e Panelas”. O respectivo restaurante fica próximo do meu trabalho e até posso ir caminhando. Lá, a bonita e simpática proprietária, Cristina Santos, recebe seus clientes de maneira elegante, alegre, cordial, e, a cozinha caseira é fantástica!

O Sérgio - cozinheiro de primeira - manda super bem. Só não sabia fazer farofa matuta, à moda de Caruaru, mas eu lhe ensinei (rsrs). Costumo lhe ameaçar com a conta do meu endocrinologista e ele sorri feliz. Todos os dias tocaia minha chegada, só pra ter certeza que o cardápio está aprovado. Ah, danado!

No “Tachos” me sinto em casa, todos me tratam com carinho e muita atenção. A Cristina, além de amiga, é também minha fã, não sei por quê?! (Rsrs) Até se dá ao trabalho de mandar fazer sobremesas que gosto!

Entretanto, uma coisa me incomoda: os clientes. Ô povo chato! Todo dia damos de cara uns com os outros e ninguém se cumprimenta!

- Que coisa mais esquisita!

É que aonde chego gosto de fazer amizade, brincar... Mas aqui não tem jeito! A grande maioria dos recifenses é fechada, desconfiada, sei lá... Moro aqui há mais de vinte anos e ainda não me acostumei com isso.

Ainda bem que me tornei “íntima” de todos os que fazem o ”Tachos e Panelas”, bem como de um garoto que trabalha no cruzamento do semáforo, limpando os vidros dos carros, de nome Felipe. Quando me vê faz uma verdadeira festa. - Por seu intermédio já estou ficando conhecida por todos que trabalham na avenida.

- Que maravilha!

Sabe, nem todos os garotos dos semáforos são viciados ou marginais, e, nem todo restaurante tem o tempero e o aconchego do “Tachos”.

Obrigada, Cris, por nos passar a impressão de que estamos indo pra casa, de nossa infância, almoçar.

**********

Publicado no Recanto das Letras em 04/06/2010
Código do texto: T2298828