Google+ Followers

domingo, 24 de outubro de 2010

COISAS DE CECÍLIA

COISAS DE CECÍLIA
De: Ysolda Cabral





Ontem no ônibus, de volta para casa do trabalho, eu e minha amiga Cecília...

Eu sentei numa cadeira na frente e ela em outra, logo atrás de mim. Junto dela uma garota de uns 20 anos – bonita e muito bem vestida. Junto de mim; uma senhora, de aspecto comum, cochilava. Em pé, se segurando em nossas cadeiras, mais uma mulher de 50 anos, aproximadamente, a qual parecia tensa, aflita e muito, muito ansiosa.

Seguimos viagem. Tive vontade de lhe oferecer minha cadeira, mas achei que nas condições em que ela se encontrava, melhor seria ir em pé. Ela, com certeza, não aguentaria ficar sentada de tão aflita que estava.

A garota, junto de Cecília, do nada começou o seguinte diálogo: (Cecília é “dada” a atrair as situações mais inusitadas.)

- Hoje resolvi fazer uma surpresa ao meu namorado e fui dar uma organizada na casa dele. Estava tudo uma bagunça, sabe? – Sei... Respondeu minha amiga toda ouvidos e atenção.

Pois bem; continuou a moça... Quando fui por a roupa na máquina pra lavar, vi que entre elas havia uma calcinha vermelha E NÃO ERA MINHA! - VOCÊ ACREDITA NUMA COISA DESSAS?!!

Cecília, indignada exclamou: “meu Deus!!! E você fez o quê?!

Lavei "né"!!! - Ia fazer o quê?!! E continuou... Ele é bom comigo, não chama nome comigo, não bate em mim e homem "tá" tão difícil de achar, menina... !

Neste exato momento o celular da senhora que estava em pé (a toda aflita), toca. Ela imediatamente atende e aos gritos informa se encontrar dentro do ônibus, num engarrafamento de “lascar” e passa o celular para quem?! – Para Cecília!!!! “Ordenando:”

- Fale pra ele moça, fale!!!

Sem titubear, minha amiga pegou o telefone e falou:

- Meu senhor: lhe garanto que ela e todas nós estamos dentro dum ônibus, cheio pra danar e num engarrafamento daqueles! E acrescentou: sossegue que ela chega já!

Eu, boquiaberta, perguntei a ela se era o seu marido.

Ela em cima da “bucha” me respondeu:

- É meu irmão! Se fosse meu marido já tinha deixado ou matado ele. “visse”? Sou dessas não!!! E, olhou feio pra garota ao lado de Cecília.

Quando descemos do ônibus, perguntei pra minha amiga se ela conhecia as “moças”.

“Oxe”, Ysoldinha, eu nunca nem vi!!!

Coisas de Cecília... Hahahahahaha

**********

Publicado no Recanto das Letras em 22/10/2010

Código do texto: T2571885