Google+ Followers

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

REFLEXÃO DE UMA GARÇA



REFLEXÃO DE UMA GARÇA
De: Ysolda Cabral



Lindas, brancas e conformadas,
Lá estavam as Garças nas árvores.
Em bucólico abandono, apenas pousadas,
Com aparência debilitada e esfomeada.

Fiquei a refletir, como se Garça fosse:
Porque estou aqui junto aos meus pares,
A beira de um rio quase morto,
Quando posso alcançar outros mares?

O cansaço me abate, é verdade!
Mas não me impede de voar,
Ir para onde a maldade humana,
Não maltrate tanto a Mãe Natureza.

Olho para baixo e vejo um peixe,
Nadando na água fétida e suja.
E, além da fome,
Sinto-me triste e nula.

Penso em pescá-lo,
Não para comer, claro!
Para levá-lo a um lugar mais brando...

Entretanto, se durante o vôo ele morrer?
O engolir seria um verdadeiro sacrilégio...
Porém se assim não proceder,
Também vou morrer e isto é certo.

Ai, meu Deus!

O que devo fazer?

**********

Publicado no Recanto das Letras em 28/10/2010

Código do texto: T2583283