Google+ Followers

domingo, 24 de outubro de 2010

NO MEU MAR



NO MEU MAR
De: Ysolda Cabral



Com tanta clareza,
Não conseguia enxergar...

Como barco a deriva,
Num mar revolto,
Fiquei; me deixando levar...

Por vezes sentia salgado o paladar,
Se das ondas, ou se das lágrimas;
Não consigo mais precisar...

A desorientação era tanta,
Mais tanta, tanta;
Nem vale à pena lembrar...!

Sem vislumbrar horizontes,
E sem perspectivas;
Desisti de sonhar.

E, pelas asas do Destino,
Pela força da Sua Natureza,
Consegui me resgatar.

Não sei se foi num dia de domingo,
Ou numa segunda-feira.
- Aliás, tanto faz! -
Para quem continua a navegar.


**********


Ilustração: Carlos Lócio

Pintor pernambucano e professor de artes plásticas


Publicado no Recanto das Letras em 24/10/2010

Código do texto: T2575483